terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Vancouver 2010


Faltam 45 dias para o início de um evento pouco falado no Brasil, mas de enorme repercussão acima da linha do Equador. Como muitos sabem (e o título da postagem sugere) os Jogos Olímpicos de Inverno serão realizados na cidade de Vancouver. Como Pequim teve Hong Kong como sede do hipismo, a cidade de Whistler receberá os esportes de montanha como esqui alpino, snowboard, entre outros.
Como há muita informação na internet vou tentar explorar a experiência que tive ao invés de apenas repetir o que vem sendo dito.
Ao menos em Park City, cidade que desempenhou o mesmo papel que Whistler em 2002, por ser uma cidade muito pequena o trânsito ficou praticamente interrompido, apenas moradores previamente cadastrados tinham acesso ao centro da cidade. Isso é claro se eles morassem nestas ruas. As principais avenidas (4 pistas, 2 para estacionar e 2 para rolagem) foram fechadas para a montagem de tendas de patrocinadores. Para ter acesso a cidade, era necessário deixar os veículos em imensos estacionamentos que foram construídos a 20 minutos do centro. Ônibus saiam de 5 em 5 minutos para os diversos locais de competições. Vale dizer que tudo funcionou muito bem!!!

Uma outra experiência inesquecível era que como os Jogos aconteceram em fevereiro de 2002, apenas 5 meses após o maior ataque terrorista da história dos Eua, podesse imaginar a tensão das autoridades para possíveis ataques. Como funcionário de um dos Resorts que recebeu competições, nosso acesso era livre para esquiar durante nosso horário de folga, mas em certos locais próximo a área de competição havia soldados armados (bem armados) com detectores de metais... não aqueles de boates, mas os de aeroportos!

Mesmo assim o clima era de muita festa e alegria! Gostaria muito de experienciar novamente toda essa energia. E foi por causa desta energia que resolvi postar sobre Vancouver. Durante a palestra do Daniel Gould em São Paulo, um dos convidados foi o Ms. Alexandre Nunes, estava com um casaco de Turino 2006. Seu comentário sobre as Olimpíadas de Inverno foi que não perderia mais nenhuma, seria voluntário em todas! Afinal participar de um grande evento esportivo pelo lado de dentro é uma oportunidade que deve ser aproveitada! Como nem todo mundo é o César Cielo para ir de Classe Executiva e tudo pago... vai a dica: Ainda estão aceitando voluntários para Vancouver 2010! Acesse o link Voluntários mas corra pois parece que é até o fim do ano!
Outra dica e que durante os Jogos tudo fica muito caro, portanto espero participar das Para-Olimpíadas de Inverno que acontecerá de 12 à 21 de março. Mas a minha expectativa é como em Congressos, primeiro envio o trabalho... caso seja aprovado verificamos a viabilidade de ir.

domingo, 27 de dezembro de 2009

Nós na São Silvestre

Pois é, logo eu que gosto de postar vídeos... vou descontando uns 4 segundos dos 15 minutos de fama.

Como estaremos em São Paulo no Reveillon, eu e Beta fomos entrevistados pela Globo em uma matéria que trata dos vários corredores de brasilienses que estarão na prova mais tradicional do Brasil.


392

Uma pergunta que foi feita, mas editada, vale a pena ser transcrita aqui. Portanto lá vai...."O que fez vocês decidirem correr a São Silvestre?"
Desde pequeno eu assistia a prova quando ainda era na virada do ano, aquela quantidade de pessoas reunidas na Avenida Paulista sempre me causou fascínio, mas ir a São Paulo "só para correr" não estava em meus planos. 
Mas como o mundo dá voltas em 2007 fomos passar o Reveillon e no dia 31 à beira da piscina surge o convite: "Quem quer correr a São Silvestre? Estamos indo na pipoca!!!!"
Meus pensamentos: "Sem chances... vou chegar morto pra festa e entrar o ano quebrado!"

Neste ano, vamos para São Paulo novamente , mas desta vez somos nós quem convidaremos para a prova.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Barcelona FC

Acabo de assistir o jogo Barcelona X Estudiantes, onde o clube catalão venceu por 2 X 1 na prorrogação. Ao final do segundo tempo, pude observar algo que já havia sido dito pelo Dr. Joaquim Dosil no II Congresso Abrapesp. Em sua palestra, Dosil, utilizou um vídeo onde o  Guardiola (técnico do Barcelona)aparece conversando ajoelhado com seus jogadores antes do início da prorrogação.


Os pontos enfatizados pelo Dosil estavam relacionados a forma de comunicação utilizada pelo técnico. Ele fica no mesmo nível dos jogadores, facilitando a compreensão, mantendo contato visual com todo seu plantel. Guardiola faz parte da roda de conversa, o que difere do técnico argentino que fica em pé e no meio da roda de jogadores, dando as costas a alguns de seus atletas por parte do tempo.
Outro ponto enfatizado foi a manutenção do foco da equipe em fazer o que eles sabem, com paciência, sem dar muitas instruções... A única instrução que ele deu foi para iniciar o jogo jogando pelas laterais para que com a troca de passes os espaços seriam criados.

Achei este outro vídeo que gostei bastante. Aparece o "dia-a-dia" do técnico com sua equipe, a forma como ele participa dos treinos e a proximidade que mantém com seus jogadores. PS: apenas estou constando um vídeo editado do técnico... não posso afirmar que ele é assim todos os dias!!!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Gatorade e Bob Singer

Tem uma postagem que gosto muito que fala sobre a importância de falar inglês... pois é... com o convite para traduzir o Bob Singer no II Congresso da Abrapesp, ganhei várias oportnidades em que eu deveria me ambientar e conhecê-lo. Com isso pude construir uma amizade muito bacana. Já comentei ontem sobre o que penso do Dr Singer. Nesta postagem vou falar de uma curiosidade para quem gosta de esporte e de um momento que foi especial para mim no II Congresso.

Em um dos jantares com os convidados internacionais, o Bob me perguntou se eu conhecia a historia do Gatorade. Respondi que não e ele começou mais ou menos assim...
O Gatorade foi criado em 1965 , quando pesquisadores da Universidade da Flórida, onde ele é reconhecido como professor emérito, foram procurados pelo técnico da equipe de futebol americano da universidade (Os Florida Gators). Ele estava frustrado com o desempenho dos atletas de sua equipe nos momentos finais de suas partidas e pediu auxílio aos estudiosos. Dr. Cade (obrigado Wikipédia) estudou os componentes do suor e começou a desenvolver uma bebida com composição “idêntica” da combinação de sais minerais e carboidratos perdidos durante a atividade física.
O Bob disse que a bebida foi desenvolvida e que era igual ao suor, inclusive o gosto! Justamente por esta característica é que os pesquisadores começaram a misturar a nova bebida com alguns sabores e uma mistura bem sucedida foi com suco de limão. Daí a origem do nome GATOR (Flórida Gators) + ADE (LimonADE ou limonada em inglês).




Bem esta foto é a foto de um copinho do Gators que ganhei após a palestra.

Outras duas curiosidades: 1. O que a princípio era uma jogada de marketing para associar o nome da bebida ao desempenho do time, hoje já está em fase de mudança nos Estados Unidos, sendo utilizado apenas a letra G. 2. A bebida representa um ganho milionário de royalties à Universidade da Flórida que detém os direitos da bebida.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Bob Singer e as tendências em Psicologia do Esporte e do Exercício





Durante o II Congresso da Abrapesp tive a oportunidade e alegria de traduzir o Prof. Dr Robert Singer. Não foi a primeira vez que me pediram para realizar tal "trabalho", em 2008 traduzi o Prof. Dr. Daniel Gould, mas desta vez foi diferente. Claro que meu inglês estava melhor, afinal investi nesta área durante o ano de 2009... mas pelo fato da duração do evento ser de 3 dias, pude compartilhar diversos momentos preciosos ao lado de uma pessoa excepcional. 












Neste blog deixo claro que sou apaixonado pela Psicologia do Esporte e estar ao lado de pessoas que fazem tanto pela área em todo mundo é sempre entusiasmante. Desde os primeiros contatos com Bob Singer, ele demonstra ser uma pessoa muito aberta e disponível. Ao solicitar seus slides para que fossem traduzidos de antemão e me auxiliar nesta tarefa de tradução, foi muito solícito enviando-os prontamente. Nos dias que antecederam sua apresentação pude fazer várias perguntas sobre a psicologia do esporte, mas uma resposta em específico gostaria de compartilhar com os leitores do blog.


            Ao perguntar sobre qual era o futuro da psicologia do esporte, ele me respondeu: “ao meu ver, esta crise que passou deixou alguns ensinamentos importantes. Entre eles que algumas áreas são cruciais e nunca deixam de receber investimentos independentemente da situação econômica.” Um dos exemplos que ele cita é a área química, provavelmente pela influencia e força da industria farmacêutica. Continua dizendo: “a psicologia do esporte principalmente de alto rendimento é visto como algo que pode esperar se levado em consideração estas outras áreas (química, física, engenharias...)”. Não lembro ao certo quais foram suas palavras, mas ele deixa claro que uma forma de aumentar a representatividade da área a Psicologia do Esporte e do Exercício deveria focar neste último aspecto (exercício), fomentando pesquisas na área da saúde.



            Vale lembrar que esta é uma opinião de uma pessoa que foi presidente da ISSP em duas oportunidades e com uma carreira voltada em grande parte na área acadêmica, inserido num contexto americano, portanto pragmático, onde as descobertas acadêmicas devem estar alinhadas com necessidades mercadológicas. 

sábado, 12 de dezembro de 2009

Dica de Livro


HISTÓRIA DO ESPORTE NO BRASIL: DO IMPÉRIO AOS DIAS ATUAIS
EDITORA UNESP
MARY DEL PRIORE E VICTOR ANDRADE DE MELO (ORGS.)

- Especificações:
ISBN: 9788571399891
Formato: 16 x 23cm
Páginas: 566
Edição: 1ª
Ano: 2009
Acabamento: Brochura com orelhas
Com ilustrações
- Sinopse
O esporte é uma das mais importantes manifestações culturais do século XX. É um fenômeno tipicamente moderno, que tem sua configuração articulada com todas as outras dimensões sociais, culturais, econômicas e políticas: arquitetura, modus vivendis, nova dinâmica das cidades, aumento da presença dos meios de comunicações, entre outras. A construção do ideário da modernidade, seus sentidos e significados, passa também pelas peculiaridades que adquiriu a prática esportiva no decorrer do tempo. As práticas corporais sempre fazem parte do patrimônio cultural de um povo, plenamente articuladas com uma cultura específica e sendo importantes ferramentas na construção de identidades: de classe, de gênero, de etnia, ligadas à construção da ideia de nação. No caso do Brasil, isso fica acentuado pela grande presença do futebol em nossa formação
cultural, em nossa história.
Tendo em vista essas considerações, esse livro pretende lançar um olhar panorâmico sobre o objeto no país, traçando uma trajetória temporal, desde o século XIX até os dias de hoje.


- Organização da obra

* Capítulo 1 – p.13
“Jogos de cavalheiros”: as atividades físicas antes da chegada do esporte
Mary Del Priore

* Capítulo 2 – p.35
Das touradas às corridas de cavalo e regatas: primeiros momentos da configuração do campo esportivo no Brasil
Victor Andrade de Melo

* Capítulo 3 – p.71
Corpos, bicicletas e automóveis: outros esportes na transição dos séculos XIX e XX
Victor Andrade de Melo

* Capítulo 4 – p.107
A futura paixão nacional: chega o futebol
Fabio Franzini

* Capítulo 5 – p.133
Da arte e da ciência de movimentar-se: primeiros momentos da ginástica no Brasil
Carmen Lucia Soares

* Capítulo 6 – p.179
Tensões na consolidação do futebol nacional
Ricardo Pinto dos Santos

* Capítulo 7 – p.213
O esporte como política de estado: Vargas
Maurício Drumond

* Capítulo 8 – p.245
No caminho do esporte: a saga da capoeira no século XX
Carlos Eugênio Líbano Soares
Frederico José De Abreu

* Capítulo 9 – p.269
Imagens da mulher no esporte
Silvana Vilodre Goellner

* Capítulo 10 – p.293
O Brasil no cenário internacional: Jogos Olímpicos e Copas do Mundo
Plínio Labriola Negreiros

* Capítulo 11 – p.331
Esporte e escola: astúcias na “energização do caráter” dos brasileiros
Meily Assbú Linhales

* Capítulo 12 – p.359
Novas conformações do campo esportivo: os esportes na natureza
Cleber Augusto Gonçalves Dias

* Capítulo 13 – p.387
O esporte brasileiro em tempos de exceção: sob a égide da ditadura (1964-1985)
Marcus Aurelio Taborda de Oliveira

* Capítulo 14 – p.417

Os anos 1980, a juventude e os esportes radicais

Rafael Fortes

* Capítulo 15 – p.453
Futebol e identidade nacional: reflexões sobre o Brasil
Simoni Lahud Guedes

Capítulo 16 – p.481
* Esporte, globalização e negócios: o Brasil dos dias de hoje
Antônio Jorge Soares
Alexandre Fernandes Vaz

* Capítulo 17 – p.505
Globalização e espetaculo: o Brasil dos megaeventos esportivos
Gilmar Mascarenhas de Jesus

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

CBN entrevista Regina Brandão



Como os atletas podem ter controle emocional em uma rodada tão decisiva?

Entrevista com Regina Brandão, psicóloga, especialista em Psicologia do Esporte



Comentário da Regina Brandão sobre a pressão da decisão entre Grêmio e Flamengo.
Tudo bem que foi antes do jogo decisivo, mas vale a pena ver o que vem sendo dito sobre a área.
Ela comenta sobre motivação para o sucesso e para o fracasso. Mencionando que os jogadores com motivação para "fugir" do fracasso tendem a jogar com mais afinco. É utilizado o exemplo do Palmeiras e Botafogo, onde a Regina afirma que o Botafogo entraria com muito mais "garra".

Fala também sobre como o medo pode atrapalhar o desempenho, principalmente se o jogador começar a se preocupar com variáveis fora de seu alcance, como os resultados de outros jogos.




sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Reportagem sobre Motivação





Foi ao ar no dia 29/11 no esporte espetacular, horas antes da penúltima rodada do campeonato brasileiro. Tema realmente polêmico que deve ser tratado com cautela, afinal existem diversas variáveis que interferem no desempenho esportivo. A Dra. Kátia Rubio participa da entrevista dando contribuições importantes para a matéria.

A reportagem explica de maneira clara sobre o nível ótimo de ativação, conceito básico para quem trabalha com psicologia do esporte que pode auxiliar bastante na compreensão das razões que podem influenciar a motivação dos atletas.  
Um ponto bastante discutido no meio acadêmico, em psicologia organizacional, é qual o impacto real de palestras motivacionais, conhecidas como palestras-show, no desempenho de equipes de trabalho? Ao menos nas empresas, fica claro que o efeito deste tipo de intervenção tem se mostrado dispendioso ao se levar em consideração o custo/benefício. Justamente por seus efeitos serem efêmeros e principalmente pelo "feitiço" virar contra o "feiticeiro", afinal ao "motivar", ou como gostam os adeptos deste recurso, "despertar o gigante interior" do funcionário dizendo palavras carregadas de emoção, muitas vezes se promete algo que não pode ser cumprido. No final das contas, toda a expectativa criada pode virar uma tremenda frustração.
Não pense que eu sou contra este tipo de palestra, pelo contrário, sou muito à favor se utilizada para complementar um programa bem estruturado que contemple um planejamento de médio e longo prazos.
Mas por mais que um time seja ou deva ser tratado como empresa, o desempenho que é cobrado (pela torcida e por poucos dirigentes) ocorre durante 90 minutos semanais. O que me leva a refletir...


 Já que a duração do desempenho é curta este tipo de palestra em teoria seria bem interessante. Quais os riscos de utilizar esta abordagem?
Talvez uma explicação para esta pergunta esteja na forma como são conduzidas as palestras, pois se jogadores diferentes são tratados de forma diferente, por exemplo na carga de treinamento (academia) e na dieta, deve ser levado em consideração a diferente necessidade "motivacional" de cada atleta. Dando suporte individual para atletas.
Se não me engano, a Dra. Regina Brandão comenta que o Felipão não só era exímio motivador como sabia ouvir a todos da equipe. Atuando como psicóloga da seleção brasileira na época do Penta, ela identificou que determinado atleta era muito esforçado mas "sensível" a determinadas broncas. Informando isso ao Felipão, ele ficava ao lado deste atleta na hora do "puxão de orelha" enquanto falava dos pontos que deveriam ser melhor trabalhados pelo restante do grupo. Fornecendo o que cada atleta necessitava, uns acolhimento e outros feedback técnicos e táticos.

Só lembrando, "motivação" demais atrapalha. Não foi falado no programa mas a famosa curva do U invertido já postula que em determinado ponto o excesso de ativação pode causar uma queda no rendimento. Um exemplo disso  é usar força desnecessária em jogadas no meio de campo e ser expulso por ter exagerado... 


Motivação tenta controlar a mente dos atletas nos momentos mais tensos dos campeonatos




quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Monografia

Amanhã é minha mono.... portanto seja lá qual for sua religião reze por mim, ou mande uma energia positiva, boas vibrações...

Amanhã as 16h00

Portanto depois de amanhã voltam as postagens!!!!!

Abraços!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Alojamento do II Congresso

Este é um tópico que muitas pessoas estão me perguntando.

Onde ficar no Rio? Quer dividir quarto? Essas coisas...

Bem, ter família grande tem suas vantagens. Ficarei na casa da Vó Ignez! Portanto serei tratado como neto, mimado e paparicado por essa doçura que é a avó da minha esposa :) Mas pra quem não tem a mesma sorte, vai a dica.


A Abrapesp fechou uma parceria com o Hostel República, estive no site deles e achei bem legal. Por ser um Hostel, os preços já são bem em conta, mas mesmo assim baixou mais ainda  devido a parceria. Vale a pena dar uma olhadinha. (este link é para o Blog da Abrapesp, onde você poderá encontrar os preços com desconto)

Eles tem no próprio site um link no Google Maps com as instruções de como chegar lá.

Nos vemos no Rio!

sábado, 14 de novembro de 2009

Trabalhos aprovados do II Congresso ABRAPESP

Saiu a lista de trabalhos aprovados para o II Congresso da Associação Brasileira de Psicologia do Esporte.
Veja a lista completa.


Pude perceber que Brasília está bem representada, com vários trabalhos entre eles:


21. MÚSICA COMO ESTRATÉGIA AUXILIAR EM PSICOLOGIA DO ESPORTE DUARTE, TIAGO F. D.; PACHECO, ANDERSON; DUARTE, RODRIGO
30. SENTIDOS SUBJETIVOS DA DOR EM ATLETA DE ALTO-RENDIMENTO PACHECO; ANDERSON; DUARTE, TIAGO F. D.
31. A BICICLETA E O CONTEXTO DE SAÚDE MENTAL ANTI-MANICOMIAL. DUARTE, RODRIGO e DUARTE,TIAGO F. D. 
32. DESAFIOS DA CONSTRUÇÃO DA PSICOLOGIA DO ESPORTE APLICADA: INTERVENÇÕES EM ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DUARTE, TIAGO F. D. ; HARCKBART, NATHÁLIA; PASSOS, MARCELO; PIRES, THIAGO; KRUGER, MOHANA; ISIDRO-MARINHO, GEISON
34. EFEITOS DO ENSAIO ENCOBERTO SOBRE O DESEMPENHO NO SAQUE DE ATLETAS JUVENIS DE VOLEIBOLDUARTE, TIAGO F. D. ; HARCKBART, NATHÁLIA; PASSOS, MARCELO; PIRES, THIAGO; KRUGER, MOHANA; ISIDRO-MARINHO, GEISON
3. FATORES FAMILIARES ASSOCIADOS AO DESENVOLVIMENTO DO TALENTO NO ESPORTE SILVA, PAULO VINÍCIUS CARVALHO e FLEITH, DENISE DE SOUZA



5. ATLETAS TALENTOSOS E O PAPEL DESEMPENHADO POR SUAS FAMÍLIAS SILVA, PAULO VINÍCIUS CARVALHO e FLEITH, DENISE DE SOUZA

adorei esta propaganda!!!



sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Robert Singer no II Congresso Abrapesp

O II Congresso Abrapesp no Rio está empolgante!!!

Já são três os convidados internacionais!!!

Entre eles o PhD Robert Singer... ele já escreveu vários livros sobre o assunto e trabalha há décadas na área, entre os livros mais importantes estão os Handbooks de Psicologia do Esporte e o de Pesquisa em Psicologia do esporte.

A tradução de Handbook seria manual, mas o sentido de handbook é mais amplo trazendo as maiores contribuições no campo vindas de autores especialistas de cada tema.... 

Para quem tem mais curiosidade este link leva a um site onde mostra vários de seus artigos publicados.


O tema que ele abordará no Rio de Janeiro será Psicologia do Esport: Questões de interesse. Onde será discutido áreas onde possam haver perspectivas conflitantes. Serão abordadas formas para resolver tais conflitos a partir de sua experiência em pesquisa e na área prática. 

Os outros convidados são:
Prof Dr. Sidônio Serpa
Universidade Técnica de Lisboa
Presidente da International Society of Sport Psychology

Prof. Dr. Joaquin Dosil
Universidad de Vigo
Presidente Sociedade Iberoamericana de Psicologia del Deporte

até o Rio

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Histórias que valem a pena contar

Me pediram se eu conhecia alguma história ligada ao esporte brasileiro que pudesse ser contada em um contexto de adolescentes. Com objetivo de passar algum valor através do esporte. 

Ao ler o email sorri, felizmente o Brasil está recheado de belos momentos.


Divido com vocês um pouco de uma história bem conhecida mas que vale a pena ser lembrada!



Milagre do Basquete Brasileiro -

O dia 23 de agosto de 1987 ficou marcado com um dos momentos de maior superação do basquete brasileiro. A cena do Pan-Americano de Indianápolis ficará registrada na história.
O time americano, formado por universitários, tinha jogadores que brilhariam na NBA, como David Robinson, Danny Manning e Rex Chapman, além deser invicta em toda a sua história jogando em casa.
No intervalo de jogo na Market Square Arena, a seleção dos Estados Unidos tinha 14 pontos (68 a 54) de vantagem na grande final dos Jogos Pan-Americanos de 1987. Na arquibancada, mais de 16 mil tocedores davam o ouro como certo. Só não contavam que, nos 20 minutos seguintes, o Brasil faria história. Comandados por Oscar Schmidt (46 pontos) e Marcel de Souza (31pontos ), a Seleção masculina de basquete surpreendeu os donos da casa e viraram a partida  tornando-se o primeiro time a derrotar os americanos jogando na casa deles, com uma virada espetacular.
 Com um segundo tempo perfeito, de defesa forte e chutes certeiros da linha de três, a seleção venceu por 120 a 115. Anotando 10 bolas da linha de três apenas na etapa final. Oscar foi o grande nome da equipe na conquista do título histórico, o "Mão Santa", anotou 35 pontos só no segundo tempo e eternizou a vitória com uma imagem que emocionou o país: o choro incontido no chão da quadra, ao fim da partida.
- Quando você vê as imagens do fim do jogo, a gente não sabia nem como festejar. Nós não acreditávamos que ganharíamos aquele jogo, aliás, ninguém na época acreditava - afirmou Oscar em entrevistas que celebraram o aniversário de 20 anos da conquista.

Os 16.408 torcedores que lotaram a Market Square Arena foram embora decepcionados. O ginásio, mais tarde, seria demolido para dar lugar ao moderno Conseco Fieldhouse. Caiu também a certeza de que dava para vencer todo mundo usando apenas universitários.







terça-feira, 3 de novembro de 2009

Últimos dias para enviar Trabalhos pro II Congresso Abrapesp

Ainda há 7 dias para o envio de trabalhos para o II Congresso da Associação Brasileira de Psicologia do Esporte.

De Psicologia do Esporte

Vale lembrar que quem tiver o trabalho aprovado poderá efetuar o pagamento com os primeiros valores.

maiores informações: Abrapesp

Abraços,
Tiago

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Lista de Trabalhos aprovados para o Congresso de Rio Preto

Saiu a lista de trabalhos aprovados que serão expostos no I Congresso Brasileiro de Psicologia Aplicada ao Esporte e a Motricidade Humana.

Confira a lista aqui.

Pela lista já dá pra perceber que o interior paulista estará em peso neste evento de psicologia do esporte. Com muita concentração nas cidades de Rio Claro e São José do Rio Preto (Claro), poucos trabalhos saem deste eixo.

A unica exceção aos trabalhos paulistas é o trabalho realizado pelo meu grupo de estágio aqui de Brasília sobre: EFEITOS DO ENSAIO ENCOBERTO SOBRE O DESEMPENHO NO SAQUE DE ATLETAS JUVENIS DE VOLEIBOL. Dos autores: Tiago Duarte ;)  , Nathália Harckbart; Marcelo Passos; Thiago Pires; Mohana Kruger. Orientados pelo Prof. Geison Isidro.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Rubens Barrichello

Acabo de ler o Blog do Flávio Gomes, polêmico com certeza, mas não deixa de nos fazer pensar sobre a forma como as notícias são passadas e com se criam (ou destroem) heróis... gostaria de fazer umas considerações...


Escolhido como um dos 50 maiores jogadores de basquete da história da NBA, John Stockton foi vice campeão duas vezes, ao lado de jogadores como Michael Jordan, Magic Johnson, Larry Bird, Wilt Chamberlain entre outros.

Pediram para Stockton  resumir qual era seu sentimento sobre aposentar-se da NBA sem nenhum título. 

"Uma grande parte é sobre a jornada", disse ele. "Tenho certeza que há pessoas que ganharam campeonatos que não tiveram de trabalhar muito duro para isso. Trabalhamos muito duro e não deu, mas ainda sinto-me recompensado pelo esforço que tive em competir. "
Quando finalizou sua carreira era o terceiro maior particiantes em jogos da NBA e era o 28 pontuador da história.




Para ser mais atual, vamos pegar o tenista Andy Murray, atual número 4 do mundo... Nunca ganhou nenhum Grand Slam. Mesmo assim está em quarto do  mundo na temporada. É motivo de orgulho para os britânicos, afinal é seu tenista melhor qualificado no ranking da ATP.  




Mas brasileiro gosta de Futebol... vamos pegar um ídolo mundial, Eusébio  português, vitorioso, ganhou 11 títulos pelo Benfica! Mas o mais próximo que ficou de ser Campeão do Mundo com Portugal foi um 3º lugar. Ok... Copa só de 4 em 4 anos, com o Poderoso Benfica foi vice 2 vezes do mundial interclubes. 










Agora vejamos o Rubens.... chega ao Grande Prêmio de Abu Dhabi de 2009 sendo o piloto com maior participação em grandes prêmios: 287, com 283 largadas (contra 256 de Patrese). Outras marcas destacam o desempenho do piloto:



  • 195 provas concluídas na zona de pontuação (perdendo apenas para Michael Schumacher, que pontuou em 197 corridas);
  • 68 pódios (sendo o quarto piloto a subir mais vezes ao pódio da Fórmula 1);
  • 602 pontos conquistados (sendo o 4º maior pontuador, apenas 12 pontos atrás de Ayrton Senna).


Se comparados com os GÊNIOS de seus esportes, tanto Pelé, como Federer, quanto Jordan dariam um baile em Euzébio, Murray e Stockton. Assim como o Schumacher dá um banho no Rubens. Mas isso não tira o valor de todo um trabalho realizado por estas pessoas. 


Ainda assim o consideramos como um cara derrotado, coitado, azarado... em qualquer outro esporte ele seria lembrado como um grande vitorioso, a não ser Murray que ainda atua em seu esporte, os outros dois atletas possuem estátuas em suas homenagens.


Isso me faz pensar sobre como mudei após descobrir a Psicologia do Esporte, lendo sobre desenvolvimento de jovens talentos, influencia das metas, fatores motivadores, impacto da derrota, valores através do esporte, percebi que a vitória é apenas uma parte deste imenso universo esportivo. Acho que por isso gostei tanto da declaração do Rubinho, (Sportvnews) onde ele falava que sempre teve seu pai para lhe apoiar e que neste GP Brasil quando chegou tinha o Dudu (seu filho) e que ao mesmo tempo que queria chorar e jogar o capacete longe era um momento para ele aprender e ensinar. "Afinal é isso que eu faço com o Dudu, ele perde um gol e eu digo, tem que continuar tentando filho. Amanhã tem outro jogo."


Acho que poderíamos repensar nossos conceitos...


Não deixem de ler o Blog do Flávio (link acima)!

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Mudança na Ginástica

Há dez anos... algumas promessas da Ginástica apareceram neste vídeo... fico pensando ao ver aos programas esportivos deste final de semana que traziam as mudanças no cenário da ginástica no Brasil. 


Alguns rostos duplamente novos, afinal estamos falando de atletas com 16, 17 anos que estão estreando em competições internacionais. Fico pensando como será ver este mesmo vídeo em 2019... 


O segundo vídeo sequer mostra a Bruna Leal, apenas cita seu nome... alguns dias mais tarde há vários vídeos só sobre ela. E assim a mídia segue buscando novos heróis para preencher nosso imaginário!


Falando em Heróis... minha sugestão é o livro: O imaginário esportivo: o atleta e o mito do herói da Dra. Kátia Rúbio. 

Quem gosta de Jung vai adorar este livro, reflexões profundas sobre a forma como o imaginário coletivo vai em busca deste seres míticos.
Já o último vídeo tem em sua chamada: 


Caçula da equipe, Bruna Leal é a única brasileira nas finais do Mundial de ginástica

Com apenas 16 anos, estreante supera nervosismo e chega à decisão do invididual geral da competição, disputada em Londres, na Inglaterra.
Em nenhum outro momento o nervosismo é citado. Vale lembrar que algumas ginastas brasileiras foram achadas mais "velhas" como a Daiane com 11 anos enquanto a Laís Souza iniciou aos 4 anos de idade. Portanto é um esporte que normalmente expõe os jovens atletas desde muito cedo à pressão competitiva. Gostei do comentário da Bruna, este é como se fosse nosso trabalho... demonstrando que pro repórter pode até ser uma surpresa ela ir à uma final, mas para ela é fruto de trabalho bem feito.

Façam bom proveito!














terça-feira, 13 de outubro de 2009

Inscrições de trabalhos para o I Congresso de Psicologia Aplicada ao Esporte

Antes tarde do que nunca!

Bem, acabam hoje (13/10/2009) é o prazo de inscrição de trabalhos para o I Congresso Brasileiro de Psicologia Aplicada ao Esporte e a Motricidade Humana. Evento que será realizado nos dias 04, 05 e 06 de novembro, na cidade de São José do Rio Preto-SP.

Clique aqui para saber mais sobre o Congresso.

O Congresso contará com a presença do Prof. Dr. Rui Gomes da Universidade do Minho - Portugal.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

SPORTV Especial RIO 2016




Vídeo muito bom!!!
Mostra alguns detalhes das candidaturas das campanhas de Chicago, Tókio e Madri.
Foi muito legal perceber que a campanha do Rio foi realmente superior. Como minha formação em marketing não me deixa parar de olhar com outros olhos... achei a campanha de Londres 2012 comum diferencial espetacular SUSTENTABILIDADE, Jogos Verdes, vi uma apresentação incrível onde mostravam conceitos "novos" que ligavam o esporte a muitos outros valores, que seriam um dos grandes legados do Jogos.

Fantástico!!! Conceitos claros, modernos, poderosos... viva Londres!

Já o Rio vem com um conceito de Paixão! Olhei e pensei... sentimentalismo puro, pros latinos ótimo, somos paixão... mas e os outros?!? Me preocupei...

Agora vendo que Barack Obama e até o representante do Japão citaram a Paixão de seus povos pelo esporte, comecei a rir e agradecer por ter mudado de área!

Parabéns aos bons Marketeiros do COB! Sustentabilidade, tecnologia... ou qualquer outro conceito podem ser replicados em qualquer país que planeje e execute bem, mas a PAIXÃO DE NOSSO POVO
Isso transcende conceitos!


15 minutos... mapa mundi!!!! Genial!!!!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Crianças sonham em participar da Olimpíada de 2016

mais trabalho para os Psicólogos do Esporte!

Achei esta matéria bem interessante...




Vale a pena refletir sobre como a mídia vai criando um cenário de pressão sobre as crianças, adolescentes e até atletas de ponta.

Será que esta "expectativa" exacerbada não pode gerar mais pontos negativos do que positivos? O que dizer do Chinês recordista mundial dos 110 com barreiras, que não conseguiu largar de dor. A cena da multidão abandonando o "ninho de pássaro" é impressionante.

Como o elevado nível de expectativa pode gerar castelos de sonhos e oceanos de desilusão. É claro que sonhar não custa nada, mas como manejar este sonho, transformando-o em metas claras (específicas, mensuráveis, temporais, relevantes e alcançáveis) sem jogar todo o "peso" em cima dos atletas.

Até hoje não acredito no que ouvi durante as Olimpíadas de Atenas, onde havia um a grande expectativa de que ela pudesse conquistar o ouro, afinal havia conquistado a medalha de ouro em etapas da copa do mundo... mas essa estória vocês já sabem... o que me deixa indignado é o fato de repórteres minutos antes da sua apresentação de solo perguntarem:

- Daiane, como você se sente podendo se tornar a primeira negra da história da ginástica a conquistar uma medalha de ouro?

A resposta pouco importa, saber que será a primeira brasileira já era uma grande responsabilidade, ter que carregar o Brasil todo nas costas é duro, mas carregar toda uma história de injustiça racial... não se compara! É muita pressão... não estou dizendo que foi isso que fez com que ela errasse!!! Mas minutos antes da prova é o momento onde o atleta deve esquecer do mundo, concentrar na plano de competição!

Espero que até 2016 possamos aprender com nossos erros e com os acertos de tantos outros países!

Lembre também o post sobre a influência dos pais.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Vídeo da Candidatura Rio 2016



Emocionante!!!

Este vídeo foi muito feliz, mostrando um pouco da receptividade que o Brasileiro tem.

Rio 2016




Lembro-me de 2004, quando percebi que o esporte fazia meu coração bater mais forte e vi o quanto estava disposto a trabalhar para que pudesse me encontrar neste meio... comecei a buscar livros que mostrassem a diferença entre vencedores e perdedores, com isso achei coisas sobre a Psicologia do Esporte, foi amor à primeira lida. Voltei a ter 13, 15 e 18 anos onde minhas dúvidas sobre o esporte e vontade de evoluir começavam a ser respondidas por algumas das estórias lidas. Tive vontade de gritar para o mundo todo o que acabara de ler, queria mostrar como podiam ser simples estas respostas, como o esporte poderia construir não apenas os vencedores, modelos que inicialmente procurava, mas pessoas melhores dentro e fora de quadra, pois isto era o que eu havia encontrado. Perder e vencer deixaram de ser minhas preocupações principais, com o tempo fui aprendendo que a vitória e derrota fazem parte do crescimento inerente de todos, uma complementando a experiência da outra. Desde então voltei pro Brasil com sonhos e esperanças de poder trabalhar com estas 3 paixões: o Esporte, a Psicologia e o Brasil.

Hoje vejo que se uma copa do mundo perdida (1950) pode marcar as vidas de tantos Brasileiros pelas palavras de Nelson Rodrigues, tão lembrado pela "Síndrome de Vira-lata", imagino o que os Jogos Olímpicos podem trazer para este mesmo povo, não falo das medalhas, mas da expectativa de ser visto pelo mundo todo, tendo que planejar e executar com esmero todas as etapas deste sonho. É justamente isso que enche meu coração de orgulho e esperança.

Parabéns Rio, chegar até aqui já merece nosso respeito.
Mas vamos além!

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Sidônio Serpa Confirmado no Congresso Abrapesp

Foi confirmada a participação do Prof. Dr. Sidônio Serpa no II Congresso da Associação Brasileira de Psicologia do Esporte.

Mais informações sobre o Congresso no Blog.

Segue abaixo uma matéria bem interessante com ele.

«Dirigentes e treinadores não sabem o que é a psicologia desportiva»
Sidónio Serpa ganha Prémio Internacional de Psicologia do Desporto
2009-07-09
Por Luísa Marinho




Sidónio Serpa está orgulhoso pelo reconhecimento dos pares
Galardoado com o Prémio Internacional de Psicologia do Desporto, Sidónio Serpa tornou-se no primeiro português a ser distinguido pela «Association for Applied Sport Psychology». Professor universitário, investigador foi o único psicólogo português a integrar a equipa olímpica em Sydney e Atalanta.

Em conversa com o «Ciência Hoje», Sidónio Serpa revela gratidão pelo reconhecimento dos seus pares e mostra-se amargurado por Portugal, a nível da psicologia desportiva de alta competição, estar atrasado em relação a outros países.


A actividade de Sidónio Serpa realiza-se a vários níveis. Faz trabalho prático com atletas de alta competição e é também professor responsável pela área de psicologia do desporto tanto a nível de licenciatura, como pós-graduação e mestrado na Faculdade de Motricidade Humana da Universidade Técnica de Lisboa.

Como investigador, trabalha sobre os diversos aspectos da psicologia de alto rendimento, como as relações entre treinador e atleta. É o primeiro português presidente da Sociedade Internacional de Psicologia do Desporto.

Sidónio Serpa congratula-se por ter sido reconhecido pelos seus colegas. “Foram entregues várias propostas ao comité que avalia as candidaturas. Do ponto de vista pessoal é muito relevante o meu trabalho ter sido reconhecido pelos meus pares, pois são elementos importantes para a validade do meu trabalho”.

«Não temos estrutura estatal nem apoio formal»

Ao contrário de outros países com ambições desportivas, Portugal não tem apostado na área da Psicologia Desportiva. “É uma característica negativa que nos distingue”, considera o professor.


Atletas chineses fizeram-se acompanhar de 25 psicólogos
e tiveram 47 medalhas
Nos Jogos Olímpicos de Pequim havia psicólogos em quase todas as equipas olímpicas.

"Só os chineses tinham 25 psicólogos. Das 51 medalhas que obtiveram, 47 tiveram a intervenção destes profissionais", diz.

Mesmo países mais pequenos que Portugal, como a Islândia ou o Chipre - assinala - levaram um psicólogo”.

Este “tendência actual dos países integrarem os aspectos psicológicos não está formalizada em Portugal”, considera. “Não temos estrutura estatal nem apoio formal neste âmbito”, acrescenta, lembrando que o trabalho da unidade de Psicologia do Centro de Alto Rendimento do Jamor, da qual fazia parte, foi interrompido o ano passado.

Para o psicólogo isto deve-se ao desconhecimento que existe sobre a área. “Os dirigentes e os treinadores não sabem o que é a psicologia desportiva. Ainda existe a ideia de que é para quem tem problemas psicológicos. Mas isto não é psicologia clínica, nem eu sou psicólogo clínico. A tarefa de um psicólogo do desporto é conhecer os pontos fortes e fracos do atleta e assim orientá-lo para que este desempenhe melhor o seu papel e tenha um maior rendimento”.

Em vez dos “responsáveis se informarem acerca desta área, ignoram-na”, conclui.

domingo, 27 de setembro de 2009

Sedes Sapientiae

Por sorte na última sexta estive em São Paulo e pude participar do primeiro dia do IV Simpósio de Psicologia do Esporte no Instituto Sedes Sapientiae.

Comecei a escrever esta postagem com o Simpósio em mente, mas enquanto as palavras chegavam resolvi mudar um pouco o rumo dessa prosa. Isso pelo fato do Instituto Sedes fazer parte de uma fase muito importante da psicologia do esporte no Brasil. Algo que foi muito bem dito pela Dra Kátia Rúbio na abertura doIV Simpósio, é que foi justamente após o I Simpósio, realizado para que os formandos em suas turmas de Especialização em Psicologia do Esporte, que um grupo de professores e especialistas decidiu criar a ABRAPESP, desde então diversos livros foram produzidos, vários seminários e outros eventos de nível internacional, além é claro de mais de 60 especialistas em Psicologia do Esporte espalhados pelo Brasil disseminando um conhecimento claro não apenas sobre o fenômeno esportivo, mas sobre seu principal protagonista, o Ser-humano.

Um detalhe importante é que o curso continua sendo o único reconhecido pelo Conselho Federal de Psicologia a formar especialistas!

Vou entrar em contato com algumas pessoas que estavam no Simpósio e solicitar que eles escrevam algo sobre este evento de excelente nível! Aguardem!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Gosto de Você e dos meus filhos!!!

Neste domingo, 20 de Setembro (Dia do Gaúcho), dormi mal... rolava na cama, estava ansioso por participar da minha primeira corrida de 5 km! Engraçado escrever sobre isso afinal, minha paixão por Psicologia do Esporte faz com que eu saiba teoricamente sobre muitas coisas que envolvem o contexto esportivo, alem claro de estratégias psicológicas pra controle de ansiedade... mas nesse domingo eu não estava muito preocupado em baixar ou aumentar nada, queria mesmo era aproveitar a sensação ao máximo.

Estava torcendo para que o Lester fosse correr comigo... afinal foi ele o responsável pela minha decisão de enfrentar uma corrida oficial. Já havia um tempo que eu queria correr com a Beta, mas ainda havia um receio que não conseguisse chegar bem ao fim... afinal correr não e meu forte.

Ao chegar na Esplanada dos Ministérios fiquei impressionado ao ver a quantidade de pessoas que acordaram cedo para correr! Sabia que essas corridas atraiam bastante gente, mas aquilo era alem das minhas expectativas. Tinham em torno de 3000 pessoas.

Encontrei o Lester na tenda da Equipe Lo-Rã, achei otimo essa estoria de equipe, afinal ao descer do carro a única coisa que pensei era, onde vou colocar as chaves do carro?

Mas vamos ao que interessa, afinal estou me alongando... ao iniciar a corrida o Lester me perguntou se eu gostava de correr?

Respondi que não! E contei uma estoria. Nunca gostei de correr, mas com o tempo passando, meus filhos crescendo, chegou um momento em que conversando com a Beta, digo que precisávamos fazer alguma atividade física, afinal saber de todos os benefícios do exercício para mente e corpo e não praticar não me parecia muito inteligente! Pois começamos a caminhar, após algumas semanas minha esposa me pergunta quando começaríamos a correr? Respondo: Nunca! Não gosto de correr, mas se isso for importante pra você, podemos começar! Afinal gosto muito de Você e de nossos filhos! E se isso for importante pra que eles percebam que a pratica de uma atividade física deve ser uma das prioridades em suas vidas, então devemos correr.

Assim que fui parar na corrida da Adidas. Meu tempo de iniciante foi otimo! 31 min 07 seg. Como corri contra minha marca anterior, ganhei afinal nunca havia corrido 5 km antes!

Outra coisa que me impressionou foi quantidade de pessoas com aparelhos MP3!!!! Na próxima vou fazer uma pesquisa... ou tirar umas fotinhos para o Blog.... essas coisas!

comecei colher os frutos do exemplo na semana passada meu filho nos pediu para correr conosco, resultado ao chegarmos da corrida fomos ate o fim da rua com ele e a Lulu!
Antes que esqueça: Beta, Lipe e Lulu, Papai ama muito vocês!!!

Simpósio em São Paulo

Esta é uma oportunidade excelente de conhecer pessoas que fazem um trabalho sério em Psicologia do Esporte!

CLIQUE NA IMAGEM PARA VER MELHOR!!!


terça-feira, 22 de setembro de 2009

Copa Davis


Este fim de semana ganhei um novo ídolo, Marcos Daniel!

Ele defendeu o Brasil no confronto decisivo contra equatoriano Nicolas Lapentti por 3 sets a 2 (parciais de 6/4, 6/4, 1/6, 2/6 e 8/6), em batalha de quatro horas e 42 minuto...

Mesmo perdendo o jogo, foi uma das partidas, com Brasileiros, mais emocionantes que assisti nos últimos anos. Foram 4 match points salvos e muita garra dispensada por este atleta!

Buscando saber mais sobre ele para postar aqui no Blog descubri algumas coisinhas... uma delas que ele eh gaúcho, fato importante não por eu também ser (rsrs), mas pelo jogo ter ocorrido justamente no dia 20 de Setembro, ou seja, dia da Revolução Farroupilha, considerado o Dia do Gaúcho.

Outra curiosidade: atualmente ele ocupa o 56 lugar no ranking da ATP, sendo assim o brasileiro melhor posicionado atualmente. Tendo faturado, aproximadamente U$ 1.000.000! Isso me impressionou, as cifras que envolvem um esporte como o tenis são impressionantes.


Parabéns Marcos Daniel, espero poder presenciar momentos tão emocionantes novamente.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Aberto dos Estados Unidos

Neste esporte, o jogo mental faz parte do vocabulário dos atletas. Concentração, foco, ensaio mental, estratégia mental, plano de jogo, até a forma como se comemora ou lamentasse pode ser analisada e estudada pelos adversários...



Várias frases retratam isso:

"Tênis é um jogo 95% mental".Jimmy Connors

"Todos ficam frustrados, têm dificuldade na quadra. É um ogo mental. Dois cérebros lutando entre sí". Marat Safin

"O exercício de fortalecimento mental é fundamental, porque se eles fizerem isso no treino vão lembrar na hora do jogo". Larri Passos

"Se não treinar como deve ser, então não jogarei como sei que posso". Ivan Lendl


Porém alguns fatos chamaram minha atenção:
1- Como o sexto do ranking pode ser considerado um "azarão"?

É claro que vale ressaltar que o Roger Federer venceu os últimos 5 US Open, portanto ele é favorito em qualquer disputa nesta quadra. Mas daí colocá-lo como "surpresa ou azarão" é demais!


2- O segundo fato foi da "convidada" Kim Clijsters conquistar o título feminino.
Após 2 anos e meio afastada do mundo do Tênis para dedicar-se a maternidade, com apenas 2 meses disputando torneios, ao receber o convite para participar do US Open.

Que excelente exemplo de como as mulheres estão ganhando cada vez mais espaço para serem o que elas desejarem... executivas, mães, atletas... sem deixar de ser Mulheres.

Parabéns Del Potro e Clijsters!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Mais Música

Como gosto de tentar unir o conhecimento acadêmico com o que é divulgado na mídia, ou seja, para leigos... (acredito que esta seja uma estratégia de aproximar os dois mundos).

Lá vai mais uma reportagem da CBN sobre Música e o controle da dor.

Este é outro link para CBN onde fala sobre como a música é capaz de mudar a freqüência das ondas cerebrais e trazer benefícios físicos e mentais.



é eu sei.... toda vez que abrem a página toca automaticamente! Mas é bom para motivar-me a postar mais mensagens!

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Hardcore Sitting

Ví este vídeo no mês passado mas ainda não tinha virado sócio da Globo Vídeos (rsrsrs), ou seja, ainda não sabia muito bem como procurar e postar vídeos... mas achei incrível o que esses caras estavam fazendo!



Outro site muito legal é do Aaron com vários vídeos sobre o assunto inclusive vários backflips, ou pra nós brasileiros o Mortal!





Sem palavras!

Fim de semana Verde e Amarelo


Pois é, nem só de esquadrilha da fumaça vive o feriado de 7 de setembro!

Neste fim de semana vários atletas brasileiros se destacaram no cenário internacional. Começou com o jogo da Seleção Brasileira de Futebol e sua vitória emblemática sobre os "Hermanos"!

Mas também teve a equipe Brasileira de Basquete que garantiu a Copa América de Basquete, assegurando a classificação para o mundial de 2010.


E para encerrar, no Brazilian Day, em Nova York, brasileira festeja quinto ouro na Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas com Poliana Okimoto.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Palestras UniCEUB!

Para quem mora em Brasília vai a dica de uma oportunidade de escutar alguns medalhistas olímpicos!

Quem promove estes encontros é o UniCEUB, confira mais informações nos links abaixo.

- Palestra com a Ricarda e a Leila do vôlei
Dia 09/09, às 9h, no Ginásio do bloco 10
Inscrições aqui.

- Palestra com Lars Grael, o campeão das águas turbulentas
Dia 09/09, às 19h, no Ginásio do bloco 10
Inscrições no site : www.dialogosuniversitarios.com.br

Participe e veja o que esses grandes nomes do esporte têm a dizer sobre motivação, carreira de sucesso, responsabilidade social e muito mais.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Ayrton Senna

Ao ver este vídeo me veio em mente a forma com que certas pessoas impactam nossas vidas. Ayrton foi o exemplo de alguém que impactou uma nação inteira. Tenho 30 anos, portanto era bem jovem, mas lembro-me como se fosse hoje do silêncio e sofrimento que pairava no ar daquele sábado, quando o Brasil perdeu o jogo contra a França.

Quero deixar claro que não sabia ao certo porque chorava, mas a forma com que o silêncio era rasgado pelo choro de pessoas que amo (meus irmãos), trazia uma dor... e sendo assim eu chorava, mesmo sem entender.

No outro dia pela manhã, algo aconteceu, gritávamos, pulávamos e aquela tristeza que deixava um vazio na alma, não mais existia, pois esse espaço tinha sido preenchido pela vitória do novato Ayrtn Senna.

Costumo falar em palestras para alunos do terceiro ano que uma das diferenças entre o Ayrton e nossos outros campeões era que ele mostrou para todos os brasileiros que nós poderíamos erguer a cabeça. Com o simples gesto de levantar a bandeira no pódio, ele colacava toda uma pátria no lugar mais alto do pódio, pois não era uma vitória individual, mas algo de todos!

Gosto de lembrar que em 1986 havia 16 anos que o país do futebol não ganhava um copa, pior, vira e mexe alguém lembrava o que Nelson Rodrigues tinha escrito, criando uma profecia auto-realizadora chamada "sindrome de vira-lata", diminuindo ainda mais a imagem que o país tinha de sí mesmo.

Obrigado Ayrton!
Esse é um caso de como o esporte transcende o campo esportivo.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Usain Bolt



Gostei muito da matéria. Tenta mostrar quais as possíveis vantagens que o "Fenômeno" Usain Bolt possui sobre seus concorrentes.

aos 3 min e 30 surge o ponto alto, afinal, para quem é apaixonado por esporte é claro que gosto de saber curiosidades sobre altura, peso, distância das passadas... mas o que gosto mesmo é de Psicologia do Esporte! ...voltando aos 3min e 30, a Dra Kátia Rúbio discorre sobre nivel de ativação óptima, onde o atleta está preparado para desempenhar sua tarefa com o máximo de eficiência psico-fisiologica. Outra forma de falar sobre este estado pode ser representada pelo gráfico do U invertido, tão discutido em tantos livros de psicologia do esporte.

Para quem quiser ler um pouco mais sobre o tal nível ótimo, este é um artigo da própria Kátia!
Boa leitura!

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Transpor limites ou Transcender limitações?





Uma pergunta que permeia o contexto esportivo é qual o objetivo do esporte? Várias respostas que geram novas perguntas são encontradas, seria superar os limites do homem? ou transpor obstáculos? vencer o oponente ou vencer a sí mesmo? Dependendo da pessoa que responder a resposta muda bastante.

O Barão de Coubertin, pedagogo e historiador francês, reconhecido como o fundador dos Jogos Olímpicos da era moderna, baseado no lema olímpico cunhado pelos gregos Citius, altius, fortius "Mais rápido, mais longe (ou mais alto), mais forte", responderia que seria pouco apenas medir quem ganha, mas exaltaria o prazer no esforço!

Esta matéria da Globo consegue traduzir um pouco este prazer, prazer que vai além de vencer o outro, vai além de transpor limites da quadra, campo ou pista... para estes atletas imagino que seria transcender as limitações físicas impostas pela "tragédia" ou pela doença, transcender todos os problemas da vida cotidiana. Aproveitando todas as possibilidades que o esporte oferece!